quarta-feira, 2 de fevereiro de 2011

Baby you can drive my car

No outro dia andei com um carro lá do trabalho. Um carro quase novo, silencioso, suave, cheio de luzinhas e apitos e funções pra'isto e pr'aquilo. Não gostei. Não gostei porque estou habituado ao meu carro, um carro à GAIJO, daqueles que é preciso carregar com força (de gaijo!) nos pedais para andar e para travar. Um carro que é a versão mecânica daquilo que um gaijo deve ser:  bruto, cheirar mal e beber demais. Com o meu carro não há cá dessas mariquices de "ah, é tão suave que nem dás pela velocidade se não olhares para o conta-quilómetros." Não, no meu carro quando vamos a 100 Km/h parece que vamos a 250 Km/h, o motor ronca ruidosamente, as moedas do troco da portagem tilintam freneticamente e tem-se a sensação de que a qualquer momento a coluna de direcção se vai partir e que vamos todos morrer numa espectacular bola de fogo. Quando vamos a 120 Km/h estremece por todos os lados, os ocupantes têm de ir amarrados aos assentos para não serem projectadas contra os vidros e temos a distinta impressão que vamos, a qualquer instante, viajar no tempo ou atravessar um portal para outra dimensão, qual StarTrek . É como viajar no space shuttle mas sem capacete.Porque o meu carro é d'gaijo!
Com uma flor estampada atrás.

4 comentários:

carpe vitam! disse...

o teu carro não é de "gaijo", é simplesmente de quem tem mais que fazer e sítios mas importantes onde gastar o dinheiro. de "gaijo" era pores aqui uma foto da florzinha! :D

Sam disse...

hahaha pensei que a moda dos desafios nos blogues já tivesse passado ! :D

carpe vitam! disse...

Não desconverses, isto não é desafio nenhum, é apenas eu a dizer-te o que é atitude de "gaijo" que se preze. Ou por acaso inventaste a flor?!? além disso, estou a pensar pôr uma no meu, do lado contrário onde pus "bad boy" e estou à procura de inspiração :D

Sam disse...

HAHAHAHAHA!