segunda-feira, 26 de outubro de 2009

A LAMENTÁVEL E TRISTE ESTÓRIA DE ASDRÚBAL ESTRILHO FONTES

Contos e fábulas de encantar, pelo Eminente poeta, romancista, filósofo e lider espiritual SAM


Asdrúbal Estrilho Fontes sempre foi um menino mal comportado. Morreu aos 17 anos, após ser tolhido por uma debulhadora de trigo. A comunidade em geral apercebeu-se que não conseguia ficar minimamente triste pela morte do Asdrúbal , o puto traquina que chamava ao padre da paróquia local "O Pinguim Punheteiro".Na sua pequena comunidade de puritanos, Asdrúbal era aquele bocado de merda que às vezes se mete e cola debaixo dos sapatos, mas, a aceitação e tolerância para com ele era o suficiente para o deixarem viver. Desde o dia em que os próprios pais declararam que o filho era a porra dum bronco de merda que os deixava embaraçados com o acto de o terem concebido, que toda aquela pequena comunidade de hábitos reservados e dogmaticamente resignada aos bons costumes e moral Cristã, percebeu que se ele não tivesse uma morte acidental e precoce (ou provocada pelo Senhor, por favor, livrai-nos deste herege) a comunidade corria o risco de ser abalada na sua extrema sensibilidade.Os membros anciãos da pequena vila juntaram-se e decidiram chamar de volta um membro da sua sociedade, que vivia sozinho nas escarpas das montanhas. Alimentando-se essencialmente de pinhões e da pouca vegetação, e também de leite de iaque, era conhecido por Fagundes Barbudo, e tinha sido ostracizado após ter desflorado e abusado da inocência das três filhas do Sr. Leitaça, (tirou os três às três).Mas nem o "eremita" Fagundes conseguiu deter Asdrúbal na sua cruzada pela destabilização da pudicidade pública. A táctica de combater o fogo com fogo levada a cabo pelos anciãos, falhou miseravelmente quando Fagundes, incumbido da missão onerosa de dar uma lição a Asdrúbal , enrabando-o até que a pele do escroto encarquilhasse, se viu forçado a abandonar a vila, após Asdrúbal , jovem vigoroso e cheio de força na verga, lhe ter escachado a bufa a marteladas de nabo. Claro que isto doeu tanto a Fagundes como a Asdrúbal , uma vez que as reentrâncias anais de Fagundes estavam ressequidas pelo tempo, e acima de tudo pelas inúmeras infecções criadas na peida, devido ao frio da montanha e pelo alojamento de pequenos parasitas que se alimentavam das suas hemorroides.
Asdrúbal vivia assim, incompreendido, numa época que não era a dele. Vivia desenquadrado.Noutra ocasião, num belo dia de sol que iluminava o seu primeiro dia de aulas, Asdrúbal levantou-se para se apresentar à turma, e as suas primeiras palavras foram ordinariamente explícitas, mostrando que o petiz dominava perfeitamente a temática.Desde esse primeiro momento de terror, em que a pequena turma de 10 elementos de saudáveis jovens totalmente inocentes e ingénuos, mais a jovem freira que leccionava as aulas ouviram ecoar as palavras "O QUE É QUE FOI, CARALHO? " , dito isto, atirou-se à jovem freira, batendo-lhe violentamente na cara. Depois de ter enfardado quatro ou cinco murros bem acentes nas fuças da freira, atirou-a ao chão, onde ficou a chorar de dores no meio de uma poça de sangue e bocados de dente partido. Nisto, vendo a freira naquele pranto, disse-lhe com ar superior e ao mesmo tempo desiludido - Pensava que eras mais forte ó Batman!!-O pânico espalhou-se pela comunidade...era conversa comum entre os habitantes que Asdrúbal ia inevitavelmente conduzir à extinção dos bons hábitos e costumes da comunidade.Da mesma forma que Dédalo construiu asas de cera para o seu filho Ícaro, o pai de Asdrúbal tentou também pô-lo fora daquele labirinto de morais que era a vila que habitavam. Claro que aqui o caso era diferente, porque Asdrúbal queria era chavascal, e não abdicava de ser o minotauro no labirinto, aterrorizando com uma canzana ocasional, as jovens moçoilas que colhiam flores nos campos.Obviamente, Asdrúbal começou a ser afastado das raparigas, cujos pais as trancavam em casa.Fatidicamente, a sua vida foi ceifada aos 17 anos. E ninguém, ninguém chorou pelo Asdrúbal. A vida voltou ao normal de à 10 anos atrás. Mas foderam-se, que um dia o padre punheteiro foi apanhado a encaixar o nabo na peida fofinha dum puto da catequése , e aí o descalabro e os escândalos sexuais verdadeiramente ditos (e não a verborreia e do Asdrúbal) vieram à tona.Ninguém chegou a saber ao certo como tudo aconteceu. Boatos surgiram, sobre o facto da morte de Asdrúbal ter sido levada a cabo pelos próprios pais. Outros dizem que foi o padre punheteiro, e outros até afirmam que foi a ira de Fagundes Barbudo que matou Asdrúbal.

sexta-feira, 16 de outubro de 2009

AMOUR FOU

Um conto de fim de semana, pelo Eminente poeta, romancista, filósofo e lider espiritual SAM
Era uma vez um rapaz que perguntou a uma linda moça que amava muito-muito-assim-a-modos-que-à-parva-mesmo, se ela queria casar com ele. Ela respondeu que não. "Tuuudo Bem", pensou ele!
Ele viveu feliz para sempre. Apanhava tosgas de meia noite ao fim de semana com os amigos e amigas, ia prás discotecas para bater coiros às boazudas que encontrava...se corresse bem, batia-lhes docemente no glúteo, se corresse mal, batia-lhes com o nabo na bochecha. Ocasionalmente jogava à bola, snooker e matraquilhos na Tasca do Bigodes. Foi criando um calo sexual, (vulgarmente chamada de barriga de cerveja), mas manteve o bom aspecto ao longo dos anos. Andava sempre bem disposto, e via a SexyHot sempre que queria. Jogava Playstation toda a noite se assim lhe apetecesse. Teve várias mulheres e amigas durante a sua vida, que o ajudavam em períodos de doença. Nunca soube cozinhar, nem precisou...morreu aos 75 anos de causas naturais e com um sorriso nos lábios e uma marca de dentadura no piço.

Ela tornou-se uma infeliz. Celulite, varizes nas pernas, e os peitos que caíram até à Nova Zelândia até serem indiferenciáveis da barriga flácida. Teve alguns homens no percurso da sua vida, mas grande parte deles conheceu nos classificados do Correio da Manhã. Fez dois abortos, levou nos cornos por duas ou três vezes. Teve um canário chamado Horácio e uma cadela que era a Malhada. Lerparam os 3 num incêndio provocado por um SG Gigante mal apagado. A televisão ficou acesa no programa do Luís Goucha. O cadáver foi metido dentro dum saco e ninguém o foi reconhecer à morgue.

Moral da história:
Sei lá...não fumes SG Gigante?

quinta-feira, 15 de outubro de 2009


Cara Maria
Todos os dias de manhã faço parte de um movimento de cidadãos... serei um candidato independente?

quarta-feira, 14 de outubro de 2009