quarta-feira, 31 de dezembro de 2008

A LENDA DO HOMEM-HORTALIÇA

Um conto de fim de ano, pelo eminente poeta, romancista, filósofo e líder espiritual SAM
(agradecimento especial ao Marco, pela inspiração e pelos copos servidos, que ajudaram à concretização deste conto )

Panayota Katzareia nasceu e cresceu na pequena aldeia de Mindilogli, perto de Pylos, região do Peloponnese, Grécia. Desde pequena que Panayota ouvia as estórias do terrível Homem-Hortaliça, estórias que passavam de pais para filhos e de geração em geração, um legado obscuro, transmitido em surdina nas longas noites de inverno ao pé da lareira.
A lenda :
Decorria o ano 1888, vivia na aldeia de Mindilogli um pobre lavrador de seu nome Pebo Caribdis, homem trabalhador e de beleza rara, que um dia se apaixonou pela filha única de um rico proprietário da região. Chamava-se Eliana e era tão feia que quando suava, o próprio suor fujia-lhe da cara para o cabelo refujiando-se nas profundezas e segurança do couro cabeludo.
Pebo e Eliana conheceram-se numa clara e fria manhã de Janeiro, quando Pebo apanhava lenha do chão, na floresta que pertencia ao pai de Eliana, quando esta o viu enquanto se passeava. Pebo assustou-se e implorou a Eliana que não contasse nada ao seu pai, esta, teve pena de Pebo e sucumbiu à sua beleza rude, natural e viril, abraçaram-se, e beijaram-se. Pebo agarrou na saquinha de sarapilheira da lenha e enfiou-a na cabeça de Eliana tapando-a por completo e fizeram amor ali mesmo. Todos os dias se encontravam na floresta para se amarem.
Um dia, o pai de Eliana, homem inteligente e vivido, estranhou que sua filha saísse de casa para se passear na floresta, quando lá fora chovia torrencialmente, com ventos que atingiam 160 km/h, algo não batia certo e resolveu segui-la, e qual foi o seu espanto quando apanhou Pebo a beijar a sua filha com a cabeça enfiada na saca de sarapilheira! Arrastou Pebo até a aldeia e levou-o até junto do padre Protesilau, que sem demoras ordenou que este fosse morto de acordo com a a tradição ancestral dos cristãos ortodoxos daquela região: Apedrejado pelos homens da aldeia com nabos ! E assim morreu Pebo, que acabou por sucumbir aos ferimentos causados pelos pesados nabos de 15 kg que lhe esmagaram o crânio, partiram-lhe as costelas e lhe furaram os pulmões.


E desde esse dia, nasceu a lenda, que sempre que uma mulher dissesse "Homem-Hortaliça" cinco vezes seguidas em frente a um espelho, este aparecia para as matar.
Panayota vivera sempre intrigada pela beleza e fim trágico da lenda do Homem-Hortaliça e não acreditava que este fosse mau como diziam os aldeões, e uma noite, estando sozinha no seu quarto virou-se para o espelho da perede, respirou fundo e secamante gritou:
-Homem-Hortaliça!
-Homem-Hortaliça!
-Homem-Hortaliça!
-Homem-Hortaliça!
................................. após breve hesitação, enche-se de coragem e grita:
-Homem-Hortaliçaaaaaa!
SPLASHHH em mil pedaços se desfez o espelho do quarto e apareceu um homem alto e belo, com um pepino de 70 cm no lugar do pénis, 10cm de diâmetro e dois nabos de kilo no lugar dos testículos...era ele:
O Homem-hortaliça!!!
-Foda-se tava a ver que nunca mais ninguém me tirava de lá caralhe ! Queres passar um mau bocado? Vai para o Mundo dos Espelhos...o Walt Disney e o Badaró também estão lá e já estão a passar-se dos cornos!-Rosnou o Homem-hortaliça aliviado.
-Que...Que vais fazer co-comigo??- Balbuciou Panayota assustada.
-Eu? Que achas? Vou dar-te umas valentes trancadas, fumar um cigarrinho e depois logo se vê! olha lá, tenho estado fora este tempo todo, o velhote Onasis ainda tem aquela empresa de barcos??
-N..não, já morreu, mandou a Maria Callas dar uma curva, casou-se com a ex-primeira Dama dos EUA, que o mandou foder passados ums tempos e depois de lhe ter sacado uma pipa de massa, o filho dele morreu num desastre de avião e a filha morreu com uma overdose de anfetaminas e depois morreu ele de um enfarte, a neta herdou o arame todo mas comprou um ilha e não quer saber de merda nenhuma porque diz que o dinheiro so trás azar ! - esclareceu Panayota de um só fôlego.
-Foda-se! Tá o caralho do mundo doido! A Barbara Streisand já fez uma operação plástica ao nariz ou ainda bebe champanhe por uma palhinha?
-Continua igual!

- Caralhe...bem, chega de conversa, rematou ele já de pepino empinado- Como disse a Eva ao Adão, menos palavras e mais acção. Está na hora do sweet lobeee, e eu tenho aquilo que faz bem para o que te faz mal.. é pílula ou pra cara fôfa?
-HôôÔ meu deus...que grande que ele é..
.- exclamou ela num suspiro guloso.
Ainda não sabes o quanto, mas já vais saber!! - resfolgou ele.
Fizeram sexo desvairado até à aurora cobrir os campos de Mindilogli com os primeiros raios de sol...
A partir daí, todos os dias à noite, ouvia-se da casa de Panayota e de outras mulheres da aldeia, casadas, solteiras, viúvas os gritos assustadores :
-Homem-Hortaliça!-Homem-Hortaliça!-Homem-Hortaliça!-Homem-Hortaliça!
-Homem-Hortaliçaaaaaaaaaaaaaaaaaaa!

E os homens da aldeia de Mindilogli nunca entenderam o olhar de felicidade e satisfação que as mulheres da aldeia começaram a esboçar...nem os risinhos de cumplicidade que explodiam à sua passagem. Também nunca entenderam as mutações no corpo que os seus recém nascidos filhos sofriam. No lugar dos testículos tinham dois nabos. Facto que acabou por ser muito positivo para a aldeia, que recebeu os gaijos do National Gerographic para estudadrem o inusitado caso e por causa do turismo também.
Moral da Cêna:
Coma vegetais ( como quiser )
Ps: Bom ano a todos...

sábado, 27 de dezembro de 2008

BIOGRAPHY - JON BON JOVI

A vida de Jon Bon Jovi, com o rigor histórico do eminente poeta, filósofo, romancista, biografo Prof. Dr. Sam

Jon Bon Jovi ou João Bom Jovem em Português, é a banda precursora do estilo Hard-Rock-Gay, fundada em 1984. É formada por Jon Bon Jovi ( João Bom Jovem ) e outros músicos que conseguem aturá-lo. Mas passado pouco tempo, também eles viraram todos gays, compondo hits fáceis de entrarem em telenovelas brasileiras como Malhação, e anúncios publicitários de carros com o It's My Life, Always e Misunderstood, tudo músicas com letras extremamente depressivas e gays.

A VIDA :João Bom Jovem, nasceu a 2 Março de 1962, no Cadaval ( distrito de Lisboa ), sendo irmão mais novo de Manuela Moura Guedes com quem aprendeu a cantar. Saíu cedo de casa por se recusar a trabalhar no negócio da família, ( um pequeno circo itinerante de aberrações naturais, onde ele e a irrmã eram as atracções principais ).Foi para New Jersey, Estados Unidos, em busca de fama e fortuna, onde aí sim, 80% da população é constituída por aberrações naturais, e aí começou a sua vida de músico, livre dos preconceitos.
Lançou o seu primeiro grande exito em 1986, com um album que vendeu quase 26 cópias em todo o estado, o trabalho chamava-se "Bon Jovi" ( Bom Jovem ), com o sucesso que obteve, começou logo a acompanhar e a abrir os concertos de outras bandas do mesmo estilo como Elton John e os Village People. O próximo trabalho saíria no ano seguinte com o album "Slipery When Wet" ( Loucura quando estou húmido ) este trabalho viria a colocar João no caminho do estrelato com os êxitos "You Give Gays a Bad Name " e "Livin' On A Player" ( música composta por João em memória de um amigo que era viciado em Super Mário World. Em 1992, a banda lança o álbum "Keep The Faith" ( Sinto Que Dei ). Que se transforma num enorme sucesso.
Já em 1994, a banda lança a colectânea "Cross Road " ( Dá-lo na estrada), com vários sucessos e uma música inédita, "Always", inspirada no lubrificante preferido de João. É ... quem disse que os lubrificantes são todos iguais? Em 2001 lança para o mercado "One Wild Night Live / 1985 - 2001" ( uma noite selvagem ) um vídeo porno, uma compilação de várias orgias do polémico músico com animais e até com alguns utensílios de cozinha, como o ralador de queijo e o liquidificador. Em 2003 " This Left Feels Right" ( Com a Esquerda sabe bem ) um tributo a todos os punheteiros canhotos do mundo. A banda volta a lançar outro álbum em 2005 "Have A Nice Day", o nome foi retirado de uma situação inusitada em que João se sentiu atraído por uma mulher, mas depressa se apercebeu do erro e deu-lhe com os pés despedindo-se dela. O álbum passou despercebido e hoje, três anos depois, ninguém se lembra de porcaria de música nenhuma dessa merda de CD. Em 2007 sai "Lost Highway" ( Perdido na Auto-estrada ), mais um trabalho que ilustra a vida de excessos do músico, relatando uma noite em que João, perdido de bêbado e sob o efeitos de drogas entra em contra-mão na Auto-estrada A1.

CURIOSIDADES:
Em 2005 lança o mega-exito-gay "Bed Of Roses" que serviu de hino da campanha eleitoral de José Sócrates nas legislativas do mesmo ano.

A junta de freguesia do Cadaval recusou-se a prestar qualquer tipo declaração e/ou entrevista ao Serial Blogger, negando enfaticamente que João Bom Jovem fosse um natural da terra. Como podemos observar no brazão da Vila, os Cadavalenses bebem literalmente para esquecer esse personagem, que na sua opinião veio manchar o bom nome da terra.

sexta-feira, 26 de dezembro de 2008

199 SWATCHES


Um conto de Amor, pelo eminente poeta, romancista, dramaturgo, filósofo e líder Espiritual Sam
Um rapaz amava muito uma rapariga.A rapariga todos os dias saía à noite.E por volta da meia noite, lá estava o rapaz junto à porta da garagem com o Swatch maravilhosamente embrulhado.Mal ouvia ligar o motor, o portão da garagem a abrir, o carro a avançar, o rapaz aproximava-se da janela, a rapariga baixava o vidro automático, ele entregava-lhe o presente, ela recolhia-o, não dizia nada e acelerava a toda a velocidade.Durante 199 noites, o rapaz ofereceu-lhe 199 Swatches, de diferentes colecções, da Skin à Irony.À ducentésima noite a rapariga não saiu de casa.O rapaz nunca mais voltou.

Moral da Cêna:

" PERDEU O SEU TEMPO!! "

quarta-feira, 24 de dezembro de 2008

A VISÃO DE MUSTAFAH




Um conto de Natal, pelo eminente poeta, romancista, dramaturgo, filósofo e líder Espiritual Sam.
Mustafah nasceu e cresceu na zona do alto Nilo, no actual Sudão, numa aldeia remota mas relativamente próspera e habitada por gente simples e dedicada que vivia da agricultura e da pastorícia, era abençoada pelo rio Nilo, pelo vento quente e pelas chuvas abundantes. Mustafah era pastor e trabalhava para o seu primo Aúda, que tinha uma centena de ovelhas e cabras e era casado com duas delas, sendo um homem abastado, podia dar-se a esse luxo.
Certo dia, Mustafah estava no cimo da montanha a guardar o rebanho. Depois de uma canzana ocasional com uma cabra com quem mantinha uma amizade colorida, encontrava-se Mustafah entretido á procura de duas pedrinhas de Silex para fazer uma fogueira e acender um cigarrinho, quando subitamente, viu no meio da vegetação um arbusto que ardia e cujas folhas não eram consumidas no fogo, reparando que estas chamavam pelo seu nome. " Foda-se!!", pensou Mustafah lembrando-se dos sermões do Sheik Basem, "a última vez que esta merda aconteceu por estas paragens, o gaijo acabou por ter de descer a montanha com duas pedras de 10 kg cada uma e com um monte de mandamentos chatos pra caralhe! Ou terá sido por causa da rapidinha que mandei à Rebecca? ( a cabra )". Nisto,Mustafah desata a correr montanha abaixo, correu e caíu 5 vezes, partiu a clavícula e a cana do nariz, mas não parou, enquanto fugia, ouvia atrás de si a mesma voz cavernosa que lhe gritava " Pára Mustafah !!" "Pára!!" mas isto ainda fazia com que Mustafah desse mais à sola, até que a dada altura, o chão tremeu-lhe debaixo dos pés, e uma labareda enorme ergueu-se na sua frente, rodeando-o e tapando o píncaro da montanha mais alta. Foi aí que Mustafah, vencido pelo cansaço, ajoelha-se arrependido e consumido pelo remorço. Chorando baba e ranho, implora perdão a deus por ter desobedecido ao al-amr bi al-maruf ( obediencia a deus ). justificando-se :
-Eu Amo-a deus, eu amo-a! Eu amo aquela cabra. Não é pecado se houver amor !!
Nisto, deus interrompe o pranto de Mustafah já visivelmente irritado e diz-lhe:
- Foda-se, calma Mustafah, não sejas parvo caralho! Eu só queria dar-te lume ! Já agora...orientas-me aí um cigarrinho ??

Moral da cêna :

" O bom crava tem sempre lume."

sábado, 20 de dezembro de 2008

BIOGRAPHY - MATA HARI

Com o rigor histórico do eminente Historiador SAM
Mata Hari, de seu verdadeiro nome Maria da Natividade Gonçalves Monteiro, nasceu em 1876 na pequena aldeia alentejana de Baleizão, concelho de Beja. Filha de pobres camponeses cedo tornou-se ceifeira, trabalhando do nascer ao pôr do sol.
Maria da Natividade era particularmente bela e também era estrábica, naquela altura os homens apreciavam muito as estrábicas porque não gostavam de mulheres que os olhassem nos olhos, era sinal de arrogância. Hoje em dia não gostamos das estrábicas e por isso só as queremos para fazer novelas da TVI, caso da Rita Pereira, ou para nos acompanhar aos espectáculos de fogo de artifício, ou a um planetário, para darmos umas valentes gargalhadas as suas custas. Daí que Maria da Natividade casou muito cedo ( 16 anos ) com um jovem de mau feitio e soldado da GNR , seu nome era Carrajola ( que anos mais tarde veio a assassinar Catarina Eufémia ).




Uma bela manhã, Maria da Natividade estava a trabalhar na ceifa na posição de "apanha cavacos", e não se apercebeu que estava a ser observada por João de alcunha "o encabador", um conhecido pastor da região com fama de engatatão. João, apoiado no seu cajado, já se babava; aproximou-se de Maria da Natividade e atirou logo para esta - " Com'é fôfa, ceifas? "- assim que Maria da Natividade levantou a cabeça e viu João, apaixonou-se, e daí nasceu um tórrido caso de amor. Passaram a encontrar-se todos os dias e faziam sexo selvagem debaixo dos chaparros. Um dia foram apanhados pelo marido de Maria da Natividade, o soldado Carrajola, que perante o que os seus olhos viam, pegou na caçadeira e aponto-a aos amantes, João fugiu e escondeu-se, e Maria da Natividade arrancou dali a tal velocidade que o seu chapéu de palha ficou em suspenso no ar durante três segundos, deixando para trás a foucinha e o Marido furioso que desatou a correr atrás dela aos gritos com um carregado sotaque alentejano:
- ANDA CÁ QUE VOU-TE MATARIIIII !
- ANDA CÁ QUE VOU-TE MATARIIIII !
( daí o nome que anos mais tarde veio a adoptar de Mata hari ).
O resto da sua vida é já de conhecimento público. Foi parar a Paris, onde se tornou dançarina exótica, teve casos amorosos com vários militares e políticos tanto com Alemães como Franceses, só os gays é que não eram fregueses. Acabou por destacar-se como sendo uma espia brilhante e ardilosa, hobbie esse que anos mais tarde, levou à sua execução por fuzilamento . A lenda conta que Mata Hari atirou um beijo aos seus executores antes que começassem a disparar, é verdade que atirou um beijo, mas era para o oficial que presidia ao acto do fuzilamento, como eu já disse anteriormente ela era estrábica, e os soldados pensaram que era para eles.

CURIOSIDADES : No brasão da freguesia de baleizão, figuram o chapéu e a foucinha deixados na fuga de Maria da Natividade, e os dois touros, que a avaliar pelos cornos, já podemos tirar as nossas conclusões de quem se referiam.
.

sexta-feira, 19 de dezembro de 2008

O FABOLOSO DESTINO DE ASDRÚBAL ESTRILHO FONTES


Um conto de fim de semana do eminente Poeta, Romancista, Dramaturgo, crítico Literário, Sociólogo, Antropólogo, Filósofo e Líder Espiriual, Sam
Era uma vez, um rei de um grande reino. O seu nome era D. Calhau e o seu reino era maravilhoso; por todos os lados, chovia ouro, que caía sobre o bondoso povo. Porém, o ouro, ao ser tão pesado, provocava hemorragias cerebrais graves e, deste modo, o povo mais morria do que enriquecia. Mas, mesmo assim, todos eram felizes. Excepto as famílias dos perecidos, mas essas não importavam a ninguém.O rei D. Calhau contava, sempre, com a ajuda do seu fiel súbdito, o corajoso Asdrúbal Estrilho Fontes. Contudo, Asdrúbal Estrilho Fontes tinha inveja da orelha direita do grande rei. Sempre tentara ter uma orelha direita tão perfeita e harmoniosa quanto a do rei D. Calhau . Já tinha cortado o seu pé direito, com uma serra, e havia tentado modificá-lo, de modo a que conseguisse uma orelha direita, uma tão perfeita e bela como a do grande rei D. Calhau .Um dia, Asdrúbal Estrilho Fontes, farto de não conseguir aquilo que mais desejava, esperou que a noite atacasse, e que o rei cumprimentasse o João Pestana, e, vil e cruel, planeou arrancar a orelha direita do grande rei, de forma a substituir a sua mal-formada por esta.A noite caiu, o grande rei adormeceu, Asdrúbal Estrilho Fontes sabia que era hora de atacar. Pegou numa faca que guardava sempre debaixo dos lençóis da cama da sua cabana preta, uma instalação ao pé do palácio, e, mau, vil e asqueroso, foi devagarinho em direcção ao quarto do grande rei D. Calhau .Abriu a porta, caminhou com cuidado, aproximou-se do leito real, onde estava o grande rei mais a sua escrava sexual. A escrava encontrava-se num sono profundo, segurando na mão um frasco de vaselina e três tubos de borracha, e o grande rei, de pénis flácido e cansado, coberto apenas por uma ponta do lençol, descansava em paz, uma paz que reinava em todo o reino. Asdrúbal Estrilho Fontes, não olhando para trás, pegou na faca, abriu um pão, colocou fiambre e queijo, e comeu que nem um cavalo - literalmente: Asdrúbal Estrilho Fontes gostava de colocar ferraduras nos pés e de relinchar, cada vez que comia uma sandes mista.Após ter terminado o seu manjar, Asdrúbal Estrilho Fontes tentou arrancar, com um ralador de queijo, a orelha direita do grande rei. Contudo, o grande rei D. Calhau acordou e, sobressaltado, pensando tratar-se da sua avó, pegou em Asdrúbal Estrilho Fontes, pô-lo de quatro, abriu-lhe os refúgios anais e, com todo o cuidado, pegou na vaselina, esfregou-a por todo o ânus e, com carinho, fornicou-o violentamente, durante cinco horas.Pelo amanhecer, Asdrúbal Estrilho Fontes encontrava-se apaixonado pelo rei. Admirava, não só a sua orelha direita, como o seu testículo esquerdo, um testículo de escroto suave, ligeiramente enrugado, mas sempre carregado de azul sémen.Passada uma semana, os dois casaram-se. Asdrúbal Estrilho Fontes, astuto como sempre fora, sabia que o facto de possuir um pénis, e não uma vagina apetitosa e de papo saboroso, o poderia denunciar. Assim sendo, Asdrúbal Estrilho Fontes vestiu-se de princesa, submeteu-se a uma operação de mudança de sexo e colocou um bigode, de modo a totalizar a sua transformação em uma bela e sensual donzela que já não sabia conduzir.Porém, o grande rei D. Calhau não era estúpido. Sabia que Asdrúbal Estrilho Fontes não era aquilo que aparentava. E a suspeição foi aumentando, de cada vez que faziam amor selvaticamente.Um dia, catorze de Março de mil novecentos e cinquenta e sete, o grande rei espiou Asdrúbal Estrilho Fontes, enquanto este último tomava banho. E, aí, notou algo estranho e fora do lugar. As suas suspeitas revelaram-se verdadeiras. Era inegável: Asdrúbal Estrilho Fontes era uma árvore.Irritado, tão irritado que mandou cortar todas as árvores do reino, o grande rei D. Calhau confrontou Asdrúbal Estrilho Fontes com a sua conclusão. Asdrúbal, ao ouvir o que o grande rei havia dito, não teve alternativa: formou um quarteto de música campestre alemã, de modo a distrair o rei. A banda, de nome “Deutscher Shäferhund and the Heartbreakers”, alcançou um enorme sucesso, tanto no Mali como no Sudão, tendo o seu primeiro álbum sido disco de platina num país onde não havia lá muita platina. Enquanto rei se deleitava com o belo som da música, Asdrúbal Estrilho Fontes, disfarçado de polícia inglês, saltou da janela do salão real para um helicóptero que se encontrava pintado num muro do reino. Esta atitude estúpida conduziu Asdrúbal Estrilho Fontes a chocar violentamente contra o muro, a partir inúmeros ossos do corpo e, finalmente, ao suicídio.Toda a gente do reino morreu, devido à falta de oxigénio, provocada pelo extermínio de todas as plantas e árvores, e viveram felizes para sempre. Sempre, não; em vinte e três de Maio de mil seiscentos e quarenta e cinco, o mundo acabou, pois a Terra saiu de órbita.


Moral da cêna: O poder corrompe.

AMO-TE VALADARES


Nunca vos aconteceu ir a casa de um vizinho para ir buscar uma mãcheinha de arroz porque repararam que a cabidela estava demasiado aguada e sentirem que o arroz de cabidela que o vosso vizinho também está a fazer tem um cheiro mais deliciosos que o vosso, mesmo que não seja arroz de cabidela, senão abrótea cozinha com couve?Nem nunca vos aconteceu a mulher do vosso vizinho, gorda, flácida, cheia de estrias e filhos ramelosos, com verrugas com pelos no meio da bochecha rosada á bacorinho, o cabelo cheio de rolos e com o cigarro já com meio metro de cinza penderocado na canto da boca, parecer um hino á sensualidade feminina quando comparada com a vossa mulher que está gorda, flácida, cheia de estrias e filhos ramelosos, com verrugas com pelos no meio da bochecha rosada á bacorinho, o cabelo cheio de rolos e com o cigarro já com meio metro de cinza penderocado na canto da boca?Ou estar uma gaija muita boa, mas mesmo muita boa a lamber um gelado e vocês terem um desejo incontrolável de dar também uma lambidela no mesmo gelado, mesmo que não gostem de gaijas nem de gelado?Pois bem, essas sao sensações que nunca tive! Embora reconheça a minha fragilidade com laivos pecaminosos por loiças sanitárias da Valadares. No início só conseguia abraça-las carinhosamente, como amigos. Agora estou melhor porque já consigo cagar nelas. Até mesmo nas sanitas, embora aí tivesse começado há pouco e confesso que ainda não me sinto muito á vontade...

quinta-feira, 18 de dezembro de 2008

FUCK YOU SANTA CLAUS




Autor: SAM
Data:Dezembro 2008

Tinta de rato sobre tela branca virtual .Obra inspirada no Natal
Nesta obra o autor consegue captar toda a intensidade dramática dum sacrifício ritual. Sacrifício cruel, mas imprescindível para ajudar ao pagamento de compras de Natal. ( ou como eu lhe chamo, festival de inverno )

quarta-feira, 17 de dezembro de 2008




Está um frio do caralhe!!
Acho que alguém se esqueceu de ligar o aquecimento global.

Al Gore, up you Ass !

terça-feira, 16 de dezembro de 2008

CÊNAS INÉDITAS DO SENHOR DOS ANEIS






Gandalf:
-O que vês Frodo? Vês alguma coisa?
Frodo:
-Nada. Não há nada. Espera. Há inscrições...
Gandalf:
- E o que dizem?
Frodo:
- "Curiosidades Google"

GIVE ME SOME LOVE


Eu acredito profundamente que os pais que têm medo que os filhos venham um dia a descobrir que são gays, em vez de estarem preocupados com o Tinky Winky dos Teletubbies, deviam agora olhar para a possibilidade muito mais ameaçadora das músicas laméchas do James Blunt.

segunda-feira, 15 de dezembro de 2008

D.SEBASTIÃO, O ENFORCADO


A verdadeira e única estória de D. Sebastião.
Estrada de Alcoutim. 7.15 da manhã. Fevereiro de 1580.

(Ouvem-se passos de cavalo)

Agente da Guarda Nacional Monárquica ( GNM ) Quem vem lá? Raio do Nevoeiro. Identifique-se, ófáxavôr.
D. SebastiãoEl Rei, meu bom homem. Aqui El Rei.
GNMEl Rei? Mostre-se à ótoridade, ófáxavôr.
D. SebastiãoEstou a chegar, meu bom vigilante. Venho por bem.
GNM Ora encoste-se aqui á beira da estrada ófáxavôr, para não incomodar o trânsito.A sua identificação e os documentos do equídeo, ófáxavôr.
D. SebastiãoSou El-Rei D. Sebastião. Deve-me vassalagem. E este cavalo não tem documentos, pois trouxe-o de Alcácer-Quibir.
GNMD. Sebastião? Vassalagem? E o equídeo não tem documentos é isso e circula com matrícula estrangeira?
D. SebastiãoÉ isso, meu bom homem.
GNMOra com que então sem documentos e a fazer-se passar pela falecida Majestade, ãh? Está a gozar com a ótoridade ou quê? Desça já do equídeo ófáxavôr.
D. SebastiãoN-não estou a gozar consigo. Estou-lhe a dizer: Sou Sua Majestade El-Rei D. Sebastião. Fugi do cárcere dos infiéis e roubei este cavalo para poder fugir para Portugal e regressar ao trono.
GNM E ainda admite o furto do equídeo (puxa a espada). Desça com as mãos onde as veja e não resista à ótoridade ófáxavôr.
D. Sebastião(descendo do cavalo). Estou-lhe a dizer que sou o Rei de Portugal, fugi do infiel!
GNMEl Rei...está bem está. Deve pensar que a ótoridade é parva. As mãos contra o equídeo ófáxavôr para eu o revistar.
D. SebastiãoOuça o que lhe digo: Sou D. Sebastião, Rei de Portugal, neto de El-Rei D. João III e estive a lutar contra o infiel. Se me deixar ir recompenso-o com o título de Conde e concedo-lhe um feudo onde desejar.
GNM (Enquanto revista D. Sebastião) A subornar a ótoridade? Oh-oh-oh! Eu sou um homem honrado. Isto não é a GNM do Algarve caralhe.A mim ninguém me compr… Qué isto? Quéque vomeçê trás aqui?
D. SebastiãoÉ para me tratar… Sofri bastantes injúrias no cárcere. Um aldeão mouro ofereceu-me essa barra para fazer um chá que me ajuda com as dores.
GNM Com que estão um cházinho, ãh? Para as dores? Uma barra inteira destas? O meu amigo agora é que não se safa: Ora, faz-se passar pelo nosso mui querido e defunto soberano e só isso era suficiente para o levar à forca. Para além disso, entrou clandestinamente no país, não traz identificação pessoal, faz-se deslocar num equídeo roubado, falta-lhe um dente e sem inspecção, tentou corromper um agente da ótoridade e ainda por cima transporta uma grande quantidade de substâncias estupefacientes. Não sei se está a ver bem, mas o meu amigo está entregue à bicharada.
D. SebastiãoMas sou O Desejado! Ordeno que me obedeça senão vai sofrer graves consequências!
GNM Qual desejado… Você vai ser é O Enforcado! Mãos atrás das costas e vamos. Tem o direito de manter o bico caladinho. Tudo o que disser e mesmo o que não disser pode e vai ser usado contra si no tribunal da santa inquisição.Devia era ter pensado no que se estava a meter antes de transgredir. Só vai ter o que merece. Tenho cá uma raiva a esta bandidage pá, drogados do caralhe. Vá lá, à minha frente, andor foda-se!
D. Sebastião- Exijo falar com o Regente!
GNM- Quem ? Com El Rei Filipe II de Espanha? está-se bem cagando pra si, caralhe...ai não é caralhe, é conho que se diz agora. Inda me estou a adaptar a ser espanhol, mas não ta a ser difícil, já estou a ganhar mais dinheiro e acabaram-se as listas de espera nos hospitais ! Agora chega de hablar e entre na carroça.

E foi assim, naquela fria manhã de nevoeiro, que o sonho Português se desfez para sempre, e enquanto a carroça da GNM se afastava, levando D. Sebastião, O Desejado...perdão O Enforcado, o zeloso agente Meireles da GNM, com o sentimento de dever cumprido e de quem marcou a diferença num combate sem tréguas contra a corrupção e o crime, ia cantando feliz:

Dale a tu cuerpo alegria Macarena
Que tu cuerpo es pa' darle alegria y cosa buena
Dale a tu cuerpo alegria, Macarena
Heeeeeey Macarena!!

sexta-feira, 12 de dezembro de 2008

A APARIÇÃO


Um conto de Fim de semana, pelo eminente, poeta, romancista, crítico literário, dramaturgo, calista, taxista, filósofo e líder espiritual SAM

Yanni Bianaikis, na sua tenra idade, era um aprendiz de afinador de pianos, em Aroannia, a 70 km de Kalavrita na região do Peloponnese, Grécia. Um dia, após o trabalho, é convidado pelo seu primo Markai para beber um copo de leite de cabra e picar uns cubinhos de queijo feta. A caminho de casa, na cova de Iriania, por cima de uma oliveira e rodeado de uma luz enorme, consegue identificar a imagem de Santo Agostinho olhando estático para ele e com o dedo enfiado no nariz e a simular uma flatulência. Num instinto de repulsa, não só por Santo Agostinho ser uma figura considerada herética para os cristãos ortodoxos mas porque tem horror de pessoas em cima de olivieiras, Yanni foge assustado. Pelo caminho não consegue controlar o vómito e espalha o leite e os cubinhos de queijo recém injeridos pelas casas dos vizinhos. Yanni apressa-se a contar o sucedido ao seu tio Christos, que após desmaiar 8 vezes sucessivas com o cheiro a queijo podre que saía da boca recém-vomitada do seu sobrinho, chamou o Padre Pataki. A 300 metros da casa de Yanni, o padre ordenou, através de megafones de alumínio, que Yanni fechasse a puta da boca para que ele se pudesse aproximar e que contasse a sua história com desenhos e plasticina. O Padre Pataki, depois de conhecer a história, aconselhou a família de Yanni a mandá-lo para um mosteiro, onde passou a bocejar a boca com mijo de cabra até ao fim dos seus dias.

Moral da cêna: O hálito faz o monge...

quinta-feira, 11 de dezembro de 2008

SÓ COISAS QUE MATORMENTAM


Eu sou uma verdadeira vítima do tiránico Zoodíaco. Eu sempre achei, e ainda acho, que esta coisa dos signos é uma grandessíssima treta. Mas a verdade é que há coisas que até batem certo.Quis o destino que nascesse em Paris no dia 30 de Junho do ano da graça de 1976. Sou um caranguejo. O caranguejo é um dos signos mais parvos que se pode ter.Os caranguejos são uns totós. Uns palermas. Uns perfeitos falhados.Basta ver um site qualquer sobre estas merdas dos signos. Todos dizem o mesmo. É qualquer coisa como isto:
...Características: proteção, receptividade, sentimentos, sensibilidade, ternura, criatividade artística, intuição, carência, comportamento "lunático", fantasia, impressionabilidade, vulnerabilidade psíquica e emocional, insegurança, dificuldade de cortar o "cordão umbilical", de romper com o passado. O canceriano é um ser que vive em função de seus sentimentos e imaginação, com grande sensibilidade e intuição. Tem fases, como a lua...Então temos, entre outras: "sensibilidade", "ternura", "criatividade artística", "fantasia", "vulnerabilidade psíquica e emocional", insegurança".Haveria várias formas de tentar fazer com que esta merda toda soasse bem. Podemos tentar alegar que "sonhador", "intuição", "sensibilidade", "criatividade artística" são coisas boas. Mas a mim soa-me tudo a "looser".Eu sei que tenho "alma de artista". Sempre tive. "Alma de artista" é um sinónimo eufemístico para "preguiça infinita". Eu sei do que falo. Eu sou o maior preguiçoso que conheço (embora confesse já que não conheço muita gente).Os artistas são completos inúteis que passam o dia sem fazer nada. De vez em quando lá se lembram de fazer qualquer coisa, mas a maioria do tempo estão em "processo criativo". "Processo criativo" é mais um eufemismo para: drogados, ou alcoolizados, ou apenas a dormir.Tipicamente morrem na penúria sozinhos numas águas furtadas (também elas bastante decadentes e artísticas). Ou então caídos numa poça de vómito na valeta (que imagem bonita, também muito decadente e artístico).Eu não tenho culpa de ser assim. É a astrologia que manda. Eu sou um escravo do meu destino astrológico.Mas! Se eu tivesse nascido na mesma data, mas em Pequim, o meu signo seria o Dragão. O Dragão é o Ferrari dos signos chineses. É brilhante, é forte, é um líder.Logo por azar eu nasci no ocidente.Será que se pode escolher qual o tipo de signo que se quer ter? Se eu vir que o meu signo egípcio (ou cigano ou outro tipo qualquer de signo que existe e eu nem sei) é melhor que o meu, será que posso optar, como quem opta por dupla nacionalidade? E quais serão os critérios para permitir a dupla nacionalidade astrológica?Outra possibilidade seria, caso o nosso signo não nos agrade, adoptar a astrologia regional. Podia estar aqui a inventar signos Vareiros, tipo a faneca Frita, a sardinha e carapau, o golfinho, o perceves, ou até o peixe cagalhão...ou signos feirenses como a fogaça, o castelo, ou o alcoolico. Mas não o vou fazer (se calhar já fiz, não é?).Mas estas coisas dos signos são engraçadas. Quando se fala nas características dos signos tenta-se sempre salientar os pontos positivos (excepto para os caranguejos em que tal é impossível).Para quando um horóscopo realista que diga verdades menos agradáveis como:"Os Caranguejos são uns falhados""Os Leões e os Touros são uns egocêntricos parvalhões impossíveis de aturar, com a mania que são os maiores""Os Escorpiões são uns nojentos de merda traiçoieros""Os Balanças são uns chatos indecisos que não fodem nem saem de cima","Os Aquários são tão insignificantes que nem vou falar aqui deles" " os capricórnios têm a mania que sabem tudo e não sabem distinguir uma agulha de um buraco no chão"(espero ter conseguido insultar a maioria dos leitores. nada como uma boa polémica para animar um blog!)


Aqui fica a ideia. Estas ideias são verdadeiras pérolas. Não sei como é que ainda ninguém se lembrou disto.Quem quiser aproveitar e fazer um horóscopo destes, força! Mas por favor paguem-me os direitos de autor. Porque as boas ideias valem dinheiro. E eu não me apetece nada trabalhar para sempre. É que para sempre é muito tempo!

sábado, 6 de dezembro de 2008

O faboloso Destino de Aristodemos Papapoulos

Um conto de fim de semana, pelo eminente poeta, romancista, crítico literário, filósofo e líder espiritual SAM
No leito de morte de seu pai, Aristodemos prometeu cumprir o seu desejo e tomar conta da camisaria da família. Aristodemos tornou-se então mestre camiseiro e ao fim de pouco tempo a sua camisaria tinha a maior gama de modelos em todo Chipre: Aristodemos tinha camisas de dormir ou de noite, polos ou t-shirts, camisas lisas ou estampadas, de folhos ou de renda, de seda ou de chita, de quadrados ou de listas, curtas ou de mangas. Aristodemos tinha uma colecção fabulosa e de qualidade inquestionável. No entanto, via que o seu negócio não prosperava ao contrário do do seu primo Partolas, cuja loja se slips com letras no elástico tinha filas que chegavam à praça.E Aristodemos ao ver as dívidas a amontoarem-se, em todas as suas orações pedia a Deus que o ajudasse no seu negócio. E um dia uma voz disse-lhe: "Vai para casa e borda um crocodilo verde em todas as tuas peças. Vais ver como o teu negócio vai prosperar". E Aristodemos foi para a sua camisaria e com a ajuda de umas empregadas começou a fazer pequenos crocodilos verdes e a bordá-los na lapela das suas criações. E em pouco meses, as filas para a sua loja eram tão grandes que Aristodemos abriu uma e outra loja e em pouco tempo começou a exportar as suas peças para outras cidades do Chipre e para o estrangeiro e ficou famoso e rico.E um dia quando Aristodemos se preparava para morder uma sandes de queijo feta no seu escritório, no andar de cima da sua primeira loja, chegou um senhor de fato acompanhado de dois polícias, que lhe disse ser da judiciária e que o prendia por falsificação da marca "Lacoste". E Aristodemos foi julgado e preso e tiraram-lhe a casa e as lojas e a sua mulher deixou-o e levou-lhe os filhos e casou-se com o seu primo Partolas. E Aristodemos, desesperado, na pequena e fria cela da prisão pergunta: "Meu Deus, porque me fizeste isto?" E Deus respondeu: "Não fui eu pá caralhe!. Foi o Buda que aproveitou para gozar contigo enquanto eu tinha ir dar uma mijinha. Mas fartei-me de rir, havias de ver a cara que fizeste quando a judiciária te prendeu! Quem é que te manda ser parvo caralhe?".
Moral da cêna: Os Deuses só nos erguem para nos deixar cair.

sexta-feira, 5 de dezembro de 2008

Power to the People


Agora falando de coisas sérias.Considero-me fazer parte de uma geração que se desiludiu com o poder político. E sem mais, mostrámos o rabinho cheio de pêlos e porcalhotas à porta de São Bento. Foi o sinal inequívoco de que perdemos o respeito e a esperança. Não somos, tão pouco, da geração que diz "o que eles querem é poleiro". Essa é a dos nossos pais. Somos sim da que diz "Porra, quanto é que o Eládio Clímaco gasta em laca? " ou " A Vanessa Palma indé solteirinha?" ou " Com quem anda a Elsa Raposo agora?". Ou seja, não nos tornámos apolíticos e desinteressados. Fizemos pior: Desenvolvemos a nossa consciência política nas análises da Nova Gente.Por isso, vive o povo numa amotinação oca, facilmente consolada por um jogo de dominó, o Euromilhónes, o fast-foda, a bola ou uma novela da TVI e que activamente cultiva uma indiferença ao concreto que pereniza a consternação ( bonito né? ), traduzido num "filha-da-puta" para o ministro da televisão, imediatamente seguido de um "Ó Chaves, atão o cheirinho pó cafézinho, ondéquetá caralhe?"O país faz o político, não é o político que faz o país. Portugal só pode confiar num político que cheire a refogado. Seja honesto ou não, é dos nossos. E nas próximas eleições mudo-me para Beja e vou votar na D. Custódia Claudine. Só não lhe dê uma travadinha até às próximas eleições...A D. Custódia Claudine, que aparece nos tempos de antena das campanhas eleitorais do POUS ( Partido Operário de Unidade Socialista), é a solução para recuperar a fé na classe política: Alguém duvida da sua ambição em operar uma campanha para introdução da bata de flores como traje único nacional? Alguém questiona o seu empenho na elevação da canjinha de galinha a fármaco? Alguém põe em causa que procurará desencadear uma luta obstinada para levar o crochet a modalidade olímpica? Ou que ainda faça contas do orçamento de estado pelos dedos e em "réis"? A D. Custódia representa o Portugal verdadeiro, um Portugal obviamente romântico, ambicioso e acima de tudo, excepcionalmente optimista. A D. Custódia no Parlamento, não só significa possuirmos um recordatório vivo do que é a essência do povo português, como ainda pode dar uma mãozinha na limpeza do hemiciclo á custo zero.D. Custódia Claudine, vou fazer-lhe uma faixa e meter na janela da minha casa, para ver o meu apoio. Se calhar é melhor fazer uma do tamanho da casa, não vão os seus óculos escorregar...

quinta-feira, 4 de dezembro de 2008

terça-feira, 2 de dezembro de 2008

Força Destruidora


O instrumento de medição pelo qual se vê que um gaijo anda todo fodido é o filme "Danny The Dog"! Alugas um filme que pensas ser de porrada, e é, e no fim acabas a chorar com o Jet Li. Ora se isto não mostra que estou "memo lá", então não sei.É que a merda do filme se chama (em português, é claro) "Força Destruidora".E o gaijo é uma força destruidora! E tu perguntas, comé qué possível?Bob Hoskins, Luc Besson, enfim a cabranagem europeia dos filmes.Estes gaijos, até o Steven Seagal conseguiam curar.E vão!Estão só à espera que o Chuck Norris aceite o convite para ser o mau. Bem hajas, Jet Li. Qualquer dia contracenas com o Nicolau Breyner e a Rita Pereira no Thriller "Em Busca do Endireitador de Olhos". Agora que temos tantos bons actores, tão jovens e tão fresquinhos (nhas?), vale a pena!

XVIII Congresso do PCP


A identidade do célebre Super-herói Capitão Vegetal, mítica figura da Rua Sésamo, foi finalmente revelada. A grande questão que se coloca era se a fobia do Capitão Vegetal para que as criancinhas comessem cenouras e aipos era para crescerem fortes e saudáveis ou para ficarem gordinhas e saborosas para serem comidas ao pequeno-almoço naqueles faustosos banquetes da Festa do Avante. Nunca saberemos.

Use Your Illusion


RTP a surpreender pela positiva. Já disponível online, e a não perder:




Sempre quis usar esta frase: "Mas é p'ra isto que eu pago os meus impostos caralhe!?"
Parece que sim. E por mim tudo bem.

Back in the U.S.S.R


Gostei do discurso da Odete Santos, eu também sonho com a morte do capitalismo, eu também gostava de um dia sair pra rua e cantar a Internacional á plenos pulmões, mas entregar o meu destino à mão dos comunistas? No fucking way !

Ps: A Odete Santos é uma mentirosa.

sábado, 29 de novembro de 2008

Quando é que ganhamos um caralho dum Festival da Eurovisão?

Começa a ser massacrante!Não percebo!Mandamos os nossos melhores homens e mulheres à conquista da Europa da Música de Merda e voltamos sempre de mãos vazias.Mas afinal com quem é que a Dora tem de foder?Se o juri é assim tão exigente, fazemos um pacote e fazem-nos o favor de levar a Nucha e Armando Gama daqui pra fora.dasse!!As Doce é que não levam, não as dou!Fazem-me sempre lembrar o Dartacão misturado com o video do Taveira.Também não levam o José Cid, porque é um estandarte da nação, um emblema, um símbolo.É o gajo que posou nu com o disco de ouro à frente da picha.Ganda Zarolho, tu ficas.Também não levam o Paião.Sim, eu sei que não há muito pra levar, mas o Barbas era bom e faz-me lembrar um Vlade Divac pequeno.Curto basket!Estou a planear uma missão terrorista para chantagear o juri do Festival, usando como batedores a Ana Zanatti e o Eládio Climaco.Este esquadrão kamikaze vai ser constituido por 4 elementos:1.Dina - o baixo centro de gravidade e o facto de ser fufa demosntram um grande capacidade de camuflagem e manobra;2.Tonicha - a perita em artes marciais "ora zumba na caneca";3.Manuela Bravo - a paraquedista "sobe, sobe, balão sobe";4.Maria Guinot - a arma secreta, o melhor para o fim, se a agressão fisica não resultar, pomos esta a cantar o "Silêncio e tanta gente" e vencemos em 2009;A apoiar esta investida temos os pelotões DaVinci (atiçar os feios, digo eu), o pessoal das obras (Nevada) e os Gemini, cumplices da Maria Guinot, pois basta-lhes cantar o "Dai Li Dou" e tá tudo fodido! Também podemos recorrer ao suborno sexual oferecendo as Nonstop e o Nuno Bandeira .2009 é nosso, já o cheiro!!Peço desculpa, afinal era um peido da Vânia Fernandes!